Rentabilidades de março

Nota: As rentabilidades mencionadas são líquidas de comissões administrativas, de gestão e de depósito, calculadas com base no valor da UP.

A rentabilidades dos últimos 3 anos são rentabilidades acumuladas.
Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras.


Em março observou-se, de uma forma muito intensa, uma rotação assinalável do posicionamento dos investidores para setores mais sensíveis ao ciclo económico, como as industriais, energéticas e matérias-primas em detrimento das ações do setor tecnológico que perderam alguma da sua pujança.

Em termos geográficos os destaques continuam a residir na Ásia, quer o outperformer dos últimos trimestres, o mercado japonês, como o underperformer, o mercado chinês que finalmente recuperou algo em março.

Neste contexto, os três principais índices dos EUA registaram ganhos sólidos, com  o S&P 500 a ter o 5º mês positivo sucessivo e a acumular ganhos superiores a 10% no trimestre, o constitui o melhor primeiro trimestre dos últimos 5 anos deste índice, o que abre boas expectativas para o ano de 2024 como um todo (nos últimos 70 anos, quase sempre que o S&P500 registou ganhos superiores a 8% no primeiro trimestre, nos restantes 9 meses do ano registou igualmente ganhos, a única exceção foi 1987).

Neste seguimento reforçamos o nosso compromisso de o proteger contra eventuais obstáculos, acompanhando-o neste caminho sinuoso. E, tendo sempre por base os princípios de preservação de capital, orientação para a rendibilidade e independência, iremos certamente conseguir!